In war we trust

Comentando no post do Rocco, me lembrei do hino dos EUA, cuja melodia eu sempre achei bonita e vibrante, embora desconfiasse bastante da letra. Pesquisinha rápida e a gente decobre que a letra do nino foi escrita em 1814 por Francis Scott Key e foi declarada, pelo Congresso Americano, como hino nacional em 3 de março de 1931. Datamos assim então uma importante peça da identidade americana. E basta dar uma olhada rápida na ocorrencia de algumas palavras e temas no hino para ter a ilustração do óbvio:  como a identidade dessa  nação está ligada a uma retórica da guerra e do orgulho:

“Oh, say, can you see, by the dawn’s early light What so proudly we hailed at the twilight’s lasted gleaming? Whose broad stripes and bright stars, through the perilous fight, O ‘er the ramparts we watched, were so gallantly streaming. And the rockets` red glare, the bombs bursting in air, Gave proof through the night that our flag was still there. Oh, say, does that star-spangled banner yet wave O’er the land of the free and the home of the brave?

On the shore dimly seen, through the mists of the deep, Where the foe‘s haughty host in dread silence reposes, What is that which the breeze, o’er the towering steep, As it fitfully blows, half conceals, half discloses? Now it catches the gleam of the morning’s first beam, In fully glory reflected, now shines on the stream: ‘Tis the star-spangled banner: oh, long may it wave O’er the land of the free and the home of the brave.

And where is that band who so vauntingly swore That the havoc of war and the battle‘s confusion A home and a country should leave us no more? Their blood has vanished out their foul footstep’s pollution. No refuge could save the hireling and slave From the terror of flight, or the gloom of the grave: And the star-spangled banner in triumph doth wave O’er the land of the free and the home of the brave!

Oh, thus be it ever when freemen shall stand. Between their loved home and the war‘s desolation! Blest with victory and peace, may the heaven-rescued land Praise the Power that has made and preserved us a nation. Then conquer we must, when our cause it is just. And this be our motto: “In God is our trust”. And the star-spangled banner in triumph shall wave O’er the land of the free and the home of the brave.”

A propósito, já diz o hino:  “Then conquer we must, when our cause it is just.”  Melhor ninguém se parecer com terrorista no nosso país, se não eles entram metralhando.

Anúncios

21 Respostas to “In war we trust”

  1. Rocco Says:

    Agora sei pq ninguém escreve nesta merda. Quando escrevem, sai esta merda…

    Mas eu entendo, afinal você não sabe a letra do seu próprio hino…

    • Ananke Says:

      É possível que você esteja esquecido, mas nossa geração estudava a letra do hino nacional. Qualquer um de nós sabe do nosso hino e isso não é nenhum mérito.

      Pensei que pudéssemos tecer considerações sobre qualquer texto escrito ou oral na porra deste blog, mas esqueci que tínhamos um censor americano entre nós…Ops! Estou então considerando a possibilidade de te pedir desculpas por criticar os EUA. Melhor mesmo eu criticar o Brasil que não está sob a tua proteção. Entretanto a gente tem que saber do que se desculpar, né? E acho que entendi: o que ofendeu o teu patriotismo não foi a alusão à retórica de guerra do hino, foi a alusão à mania americana de achar que podem fazer justiça de qualquer forma, mesmo que isso implique driblar a possibilidade de julgar um criminoso pelas vias normais ( ou você acredita mesmo que eles iam deixar o cara vivo?) ou em matar pessoas que não tem nada com a coisa como eles vivem fazendo nas ocupações de outros paises ( como é mesmo que chama isso? “Dano colateral”?). Mas liga não, Rocco, você só foi persuadido pelo conto americano dos defensores mundiais da democracia e da liberdade com direito de agir como querem “quando a causa é justa”. Muita gente está convencida disso também. A retórica americana é muito bem sucedida.

  2. Iron Man Says:

    CARALHO, A ANANKE MASSACROU O ROCCO !!!!!

  3. Nunca antes na história desse país houve um MASSACRE tão contundente…

    Congratulações, ó deusa. Nem Sauron faria melhor. Ou pior, sei lá.

  4. Ananke Says:

    Parem com isso, garotos! Quem massacra aqui é os EUA. Eu e o Rocco só estamos conversando…

    • E ela ainda é cínica! Absolutamente cínica! Fantástico! Delicioso! Chega, deusa, chega! Não precisa mais mostrar sua superioridade! Agora já é chutar cachorro morto! Até eu estou me sentindo humilhado, e nem fui eu a ser MASSACRADO!

      • Iron Man Says:

        Tipo… cachorro morto e jogado ao mar, “respeitando a tradiçaõ islâmica” segundo os EUA…

      • …pois senão, fariam peregrinações ao túmulo do cachorro. O medo que as peregrinações começassem era tão grande que eles nem mesmo quiseram arriscar uma autópsia e umas fotos do cadáver do cachorro, melhor jogar na água logo.

      • Iron Man Says:

        Mas tendo cuidado em deixar o rabo do cachorro virado pra Meca, também respeitando as tradições islâmicas…

  5. Iron Man Says:

    MASSACRE no melhor estilo “morde-e-assopra”.

  6. Boko Moko Says:

    Acho que era moda na idade moderna e no início da conteporânea fazer hinos com referências militares.

    Se vcs acharam o dos EUA violento, saca só os primeiros versos do hino francês. Já vai traduzido (não copiei tudo pra não ficar muito grande):


    Avante, filhos da Pátria,
    O dia da Glória chegou.
    Contra nós, da tirania
    O estandarte ensanguentado se ergueu.
    O estandarte ensanguentado se ergueu.
    Ouvis nos campos
    Rugirem esses ferozes soldados?
    Vêm eles até aos nossos braços
    Degolar nossos filhos, nossas mulheres.
    Às armas cidadãos!
    Formai vossos batalhões!
    Marchemos, marchemos!
    Que um sangue impuro
    Ague o nosso arado

  7. Rocco Says:

    Ahahahahaha!…

    Essa foi ótima! Juro por deus – seja quem for esse filho da puta – que achei que o post era do DARTH!… Por isso a agressividade desmedida, cara Ananke.

    E não me importo em ser “massacrado” por mulher, afinal eu gosto da posição de ficar embaixo…

    Ah! O Boko respondeu o que eu quis dizer quanto a conhecer nosso próprio hino: TODOS os escritos naquela época usam como guerras referência – conheça também os demais hinos sulamericanos, só para ter uma noção… Bjs

    • Darth Pinto Says:

      É… Quando sou eu ele fica logo todo arrepiadinho…

    • Ananke Says:

      Rocco, sua “agressividade desmedida” não me incomoda. Digamos que dá um toque selvagem ao nosso diálogo rsrsrsr
      No final a gente sempre se entende.

      Bem, agradeço a aprendizagem acerca da tendencia bélica dos hinos. Seria o nosso uma exceção? Ainda assim, continuo defendendo a ideia da retórica da guerra e do orgulho americano – afinal, eles mataram o proprio mal! rsrsrs

  8. Elwing Says:

    Ananke desconstruiu meus momentos 4th of July…..

  9. Rocco Says:

    Desconstruiu porra nenhuma. Só aceito questionamento de quem esteve lá, e ela não esteve.

  10. De Adamich Says:

    Só em 1931 foi aceito pelo congresso como hino ?? Por que?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: