Viva a Antropofagia

Oi Galera,

Hoje (11/01) Oswald de Andrade comemoraria 121 anos, se estivesse vivo. Ele é o homenageado da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) deste ano, que com isso promove uma prévia dos debates do nonagésimo aniversário da “semana de 22”, marco do movimento modernista.

Oswald de Andrade na década de 20

Segundo o curador da FLIP, Manoel da Costa Pinto (jornalista e critico literário) a obra do autor do manifesto “Poesia  Pau-Brasil” (1924) e “Antropofágico” (1928), forte influencia para o tropicalismo e para o cinema novo, ainda está para ser lida.

Conhecido pelos concurseiros e vestibulandos apenas superficialmente, o pensamento de Andrade é acima de tudo emancipador.  Ele sugere que nós, colonizados, não nos identifiquemos com a imagem do “bom selvagem” (Rousseau), mas daquele que devora o colonizador, transformando-o em nós mesmos e a nós mesmos, na operação.

Saindo um pouco da mesmice sobre o modernismo brasileiro, concordo com Latour, quando diz que nunca fomos modernos. Mas minha concordancia para por aí.  Não corroboro o argumento francês que tenta nos negar a pós-modernidade, mas sim, afirmo que “nossa modernidade” já era “pós”, pois prescindiu dos rótulos por ser, desde sempre, tão diferente, miscigenada, sincrética, complexa, imprevisível e antropofágica. Tendo sido Oswald de Andrade um dos mais anárquicos inspiradores do movimento, acho que ele concordaria comigo.

Profundo conhecedor da realidade brasileira, vale a pena conferir um pouco mais de suas idéias, para ir além de “Casa Grande e Senzala” (com todo respeito a obra de Freyre), como única forma de nos explicar como povo, ainda mais na era da globalização cultural. Quem quiser pegar o fio da meada dê uma olhada na wiki: http://pt.wikipedia.org/wiki/Oswald_de_Andrade

Enfim, quem tiver chance vale a pena conferir a FLIP este ano.

Meninas na FLIP

Agora pra desabafar… Meu sincero “perdeu preibói” pros manés que ficam tentando explicar a falácia da globalização (globalizamos o que mesmo? o dinheiro? o mercado de trabalho? as fronteiras para o fluxo de populações?), com imagens como “novos híbridos” (Gardner), Terceira Via (Giddens), sem pedir a benção pro Oswald de Andrade, pro Darcy, pro Furtado, pro Nestor Canclini, pro Nilton Santos, pros Buarque de Holanda, pro Lula (:D), dentre outros.

E pra botar pra fuder de vez… Negócio é o seguinte: tem que botar os “gringo” na roda, com seus Iphone, Mc Donald´s, stock holders e tudo mais, chamar na ginga, no sambarock, no “for all”, e comer todo mundo! hehehe…

Abrax” pros rapazes e um “xêro gostioso” pra meninas…

20 Respostas to “Viva a Antropofagia”

  1. Ananke Says:

    Caray! Deu um nó no meu juízo…
    Quando eu era uma Deusa pequena lá em Barbacena, ouvi dizer que para Latour, “jamais fomos modernos” porque o empreendimento (ou propósito) moderno de manter a dicotomia entre sujeito e objeto, sociedade e natureza, nunca funcionou e ele argumenta que a proliferação dos híbridos (“objetos” nem totalmente sociais nem totalmente naturais) é uma prova disso. Essa hibridização seria o suficiente para nos fazer questiona a radical separação entre natureza e sociedade que seria marca da modernidade. Para Latour esses híbridos “sempre” existiram, mas nos negamos a aceita-los para sustentar nosso paradigma predileto que dicotomiza sujeito-objeto, natureza-sociedade.
    Muito bem. Não consigo fazer nenhuma relação entre esses fragmentos de conhecimento acima descritos e o modernismo de Oswald de Andrade!!!

    Mas a parte da valorização do nosso “produto interno” (Oswald de Andrade, Darcy, Furtado e cia – o Canclini é brasileiro???) eu entendi (ufa!) apoio totalmente!

    A parte do “comer todo mundo” eu entendi tambem, mas apoio com restrições…

  2. Darth Pinto Says:

    É, comer geral e limpar o pau na cortina!

  3. Não entendi porra nenhuma, cagei mole pra tudo isso, mas gostei da parte de comer todo mundo.

  4. De Adamich Says:

    Esse Blog está ficando c um papo cada vez mais complexo …

    mas … é isso aí !

  5. Carlisranho Says:

    É seu Adamicho, cada ves + complexo do Alemaun, preciza botar uma UPP aki…

  6. Rocco Says:

    Ouvi falar que esse Oswald era um manja-rôla do caralho…

  7. Ananke, vc tem razão, mais uma vez. Passou no teste. Bem que eu pressenti que vc era mestre. Pena que vive suplicando por atenção. Minha misericórdia é grande, vou explicar: decidi deixar a epistemologia para os epistemólogos, bando punheteiro mental. Por isso, fiz minha própria interpretação, afinal eu sou Phyoda!

    Quanto ao O. A., bom, a obra dele é empresariada pela filha, se o cara escorregava, tinha vida dupla.

    Pelo visto, a “moral da história” pegou, menos pro Rocco, pq será?

    • Ananke Says:

      Fez sua propria interpretação…E eu aqui levando o post a sério, Phyoda… Mas no fim, valeu muito a sua contra-versão!

      Quanto ao resto…well, well, well ( perceba meu tom blasé) , obrigada pelo reconhecimento, Phyoda. Mas não se ocupe de ser generoso e me dar atenção. Se eu me empenhar e suplicar direitinho, é provavel que eu consiga algumas migalhas dos outros. E para provar que tambem sei dar e não só receber, vou te propocionar um fetiche masculino: vou apresentar você às minhas três filhas que sempre andam juntas, Láquesis, Cloto e Átropos…

  8. Uuhh, as Moiras ceguetas! Achei que eram filhas da Nix! Esse Zeus passou o rodo mesmo! Que inveja!
    A Lalá até que é bonitinha, mas é muito metódica. Eu prefiro a Clô. Se além de fiar, ela cozinhar, lavar e passar, pode fazer um estágio lá em casa. Já a Átropos, vou mexer com ela não, por enquanto…
    Cá entre nós, sou chegado mesmo é na Psiqué. Morou comigo um tempo, mas foi cair na lábia das irmãs, ficou curiosa, me queimou com uma vela e mandei passear. Mas, nunca mais esqueci dela, nem ela de mim. rsrs.
    Ah! Adorei seu ar blasé.

    • Ananke Says:

      Ai, ai…esse babado da maternidade das moiras já deu muito o que falar, Phyoda. Uns dizem que elas são filhas de Jupter e Temis, outras que são filhas de Nix e seu irmão Érebo ( e irmãs daquelas outras gracinhas a velhice, a fome, a calamidade, a loucura). Quanto a mim, defendo que são minhas filhas. Todo mundo faz confusão porque eu e Nix somos Deusas Primordiais, demos origem a muita coisa. Há quem diga que eu mesma sou filha de Nix e e que ela precedeu todas as coisas ( depois do Caos). Mas tudo bem, ando muito ocupada para reinvidicar coisas básicas como a autoria da criação do universo.

      Agora fala sério: você só tá esnobando a Átropos porque ela é a mais velha…Um mestre não tem medo da morte.

      • Vc entende mesmo da sua família né? Quando rolar outra daquelas festinhas de arromba no Olimpo pó chamá.
        Como vc pediu pra falar sério, e vc tem sido legal, vou te confessar umas coisinhas…
        De fato, coisa linda, nos ciclos das eras já troquei muito de roupa. To até um pouco cansado dessa “roda”, às vezes penso em me iluminar de vez e cagar pra Terra.
        Mas, na verdade, eu gosto desse planetinha que me ensinou tanto. Gosto mais ainda de nossos co-herdeiros disso que convimos chamar de humanidade (adjetivo). O Caminho dos humanos é o do Amor, que eu acho muito legal e diferente de outras “naves” que tem por aí.
        Cá entre nós, caríssima Deusa Primordial, é muito gostoso brincar de (re)viver, difícil é passar pela “carne” sem cagar o pau… hehehe tem sempre um carminha pra fazer a gente voltar… (Carlisranho, “carminha” não é pra andar devagar não… Depois, o Dart te explica.)
        Quanto Átropos, como velho samurai, ops. jedi ;), acordo todos os dias esperando sua interrupção de meu frágil fio. Segundo o Hagakure, logo no primeiro parágrafo: “Hoje é um bom dia pra morrer”. Se não foi hoje, amanhã será melhor. Por isso, Carpe Diem!

      • Ananke Says:

        Phyoda, vejo que chegamos a um outro estágio da nossa relação: você ja conhece minhas filhas e diz que “hoje é um bom dia pra morrer”.Doravante você sempre terá meu respeito…. mas lembre-se: “sempre não é todo dia”, como diz Oswaldo Montenegro.

        Sobre “brincar de reviver”, é o que eu sempre digo: A carne é fraca e o espirito não ajuda…

      • Elwing Says:

        Parabéns, Ananke!
        Uma aula de mitologia!!!

      • Ananke Says:

        Obrigada Elwing, mas nao foi a intenção. É que no Olimpo a gente tem que provar não só paternidade, mas a maternidade também! rsrsrs

  9. Darth Pinto Says:

    Escuta, gente… Vamo nóis trepá tudo junto?

  10. Mestre Phyoda Says:

    To dentro!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: