Nova música para novos tempos

O último post me fez lembrar que nesta última terça tive a desagradável experiência de ter que pisar em solo carioca mais uma vez. Após conhecer a Terra Prometida (Brasília), onde abundam os cargos e os corruptos, voltar ao Rio assim tão cedo é como ter que engolir novamente o vômito recém regurgitado, é como cravar novamente no coração um punhal que acabara de ser removido, é como ganhar novo chute no saco no exato momento em que a dor do anterior arrefeceu.

De qualquer forma, enquanto a melancolia me tomava ao vislumbrar as luzes do Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim (que todos continuam chamando de Galeão mesmo), o nome do maestro que batiza o farônico aeroporto me trouxe a lembrança uma das mais odiosas músicas por ele já compostas: o amaldiçoado e ignominioso Samba do Avião. Enquanto a melodia torpe cruzava minha mente, percebi que certas adaptações poderiam ser feitas na letra, para atualizar um pouco as coisas. Partilho então com vocês este meu singelo momento artístico:

Samba do Avião – Versão 2008:

Minha alma chora
Vejo o Rio de Janeiro
Estou com medo da cidade
Rio, seu caos
Balas sem fim
Rio, você chegou ao fim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a favelada
Este samba é só porque
Rio, eu odeio você
Os AK vão cantar
Todos os morros a atirar
Rio de sol, de CRÈU, de mar
Dentro de mais um ano seremos como o Afeganistão
Copacabana, Copacabana

Cristo Redentor
Braços abertos sobre a favelada
Este samba é só porque
Rio, eu odeio você
Os AK vão cantar
Todos os morros a atirar
Reze o terço, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós
Pousar…

Letra: Zão

Música: Tom Jobim

Graças a Deus, estou de volta a Brasília. Emulei Sua Santidade e beijei o chão ao aterrizar. Rio, se Deus quiser, só em 2009!

Anúncios

6 Respostas to “Nova música para novos tempos”

  1. rsifreddi@ig.com.br Says:

    Tive o prazer de reencontrar nosso nobre representante do Blog na Capital Federal terça-feira passada aqui no Rio, sempre às voltas com a Justiça (do contrário não seria um Broken).
    Foi uma experiência interessante, que talvez seja contada em um futuro post.
    Enfim, o fato é que compartilho do sentimento do nosso colega: O Rio realmente tem mais. Mais que se fuder!

  2. Boko Moko Says:

    Uma curiosidade mórbida: Graças a esse sambeco (falo do original), o aeroporto internacional do Rio foi rebatisado de Galeão para Antonio Carlos Jobim.

    Bem que tentaram dar alguma avenida importante, mas sobrou pro coitado do aeroporto receber o nome do maestro mais mala do Brasil.

    Por mim, estaria de bom tamanho se fosse um “Beco Tom Jobim”.

  3. E a mudança é tão infame que não só ninguém chama aquele elefante branco de Aeroporto Maestro Antônio Carlos Jobim, como até as fontes oficiais ignoram a mudança. Quando peguei o avião de volta, haviam tapumes de obras com os dizeres: “Estamos trabalhando para transformar o Aeroporto do Galeão em um dos 10 melhores do mundo.”

  4. rsifreddi@ig.com.br Says:

    Rsrsrsrsrs………. Cada um tem a homenagem que merece!

    Esse bosta (Jobim) recebeu a indiferença… Parabéns.

  5. Capitão Fábio Says:

    Eu posso dizer , como um cara nascido e criado na Ilha do Governador , que ficamos muito putos com a mudança do nome. Pq rebatizar o Galeão com o nome de um cara que literalmente “morreu de cachaça”? É Galeão é pronto, a tradição de mais de 50 anos fala mais alto!

  6. Rocco Says:

    Rsrsrsrsr!……

    Esse Capitão Fábio é foda!………. Nunca tinha escutado que o cara morreu de cachaça! Rsrsrsrsr…

    E olha que odeio o sujeito! Cachaceiro é foda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: